Chancelaria de Israel chama Brasil de ‘anão diplomático’ Israel expressou desapontamento com decisão de chamar embaixador para consulta e disse que país ‘cria problemas em vez de contribuir para soluções’

Chancelaria de Israel chama Brasil de ‘anão diplomático’
Israel expressou desapontamento com decisão de chamar embaixador para consulta e disse que país ‘cria problemas em vez de contribuir para soluções’
POR DANIELA KRESCH / CORRESPONDENTE
24/07/2014 11:57 / ATUALIZADO 24/07/2014 14:41

Fumaça de ataque israelense levanta sobre Cidade de Gaza
Foto: Hatem Moussa / AP
Fumaça de ataque israelense levanta sobre Cidade de Gaza – Hatem Moussa / AP
TEL AVIV — O governo israelense reagiu com irritação à decisão do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Luiz Alberto Figueiredo, de chamar de volta ao país para consultas o embaixador em Tel Aviv, Henrique Sardinha Filho. O Brasil foi o segundo país a tomar essa decisão depois do Equador, na semana passada. Em nota oficial, a chancelaria israelense expressou “desapontamento” com a atitude do governo brasileiro.

VEJA TAMBÉM
‘Estamos decepcionados’, afirma embaixador de Israel no Brasil
Para embaixada palestina, decisão do Brasil deve influenciar outros países
Confederação Israelita critica decisão do Brasil de chamar embaixador em Tel Aviv
Brasil chama embaixador em Israel para consulta
“A decisão não reflete o nível de relacionamento entre os países e ignora o direito de Israel de se defender. Passos como esse não contribuem para promover a calma e a estabilidade na região. Ao contrário, dá respaldo ao terrorismo e, naturalmente, afeta a capacidade do Brasil de exercer influência. Israel espera apoio de seus amigos em sua luta contra o Hamas, que é reconhecido como uma organização terrorista por muitos países pelo mundo”.

O porta-voz da chancelaria, Yigal Palmor, chamou o Brasil de “anão diplomático”.

— Essa é uma infeliz demonstração de porque o Brasil, um gigante econômico e cultural, se mantém um anão diplomático. O relativismo moral por trás dessa medida transforma o Brasil num parceiro diplomático irrelevante, que cria problemas em vez de contribuir para soluções — disse Palmor à imprensa israelense.

O embaixador de Israel em Brasília, Rafael Eldad, disse ao GLOBO que o governo de seu país está surpreso e decepcionado. Lembrado que o principal argumento usado pelo Itamaraty foi a morte de centenas de civis palestinos, boa parte mulheres e crianças, na Faixa de Gaza, Eldad afirmou:

Eldad, que na última quarta-feira foi chamado ao Itamaraty. Na ocasião, o embaixador Figueiredo demonstrou a Rafael Eldad seu descontentamento quanto à situação na Faixa de Gaza. Em seguida, o ministério emitiu uma nota oficial explicando por que chamou o embaixador em Tel Aviv de volta.

“O Governo brasileiro considera inaceitável a escalada da violência entre Israel e Palestina. Condenamos energicamente o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza, do qual resultou elevado número de vítimas civis, incluindo mulheres e crianças. O Governo brasileiro reitera seu chamado a um imediato cessar-fogo entre as partes”.

Na nota, o Itamaraty explica porque o Brasil votou na quarta-feira a favor da criação de uma comissão de inquérito para investigar supostos crimes de guerra de Israel numa votação do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (UNHRC, na sigla em inglês), em Genebra: “Diante da gravidade da situação, o Governo brasileiro votou favoravelmente a resolução do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas sobre o tema, adotada no dia de hoje”.

Em resposta, a embaixada palestina disse nesta quinta-feira que as medidas têm peso internacional e devem ser seguidas por outros países. Segundo o ministro conselheiro, Salah El Qatta, Gaza está sendo bombardeada por todos os lados e palestinos civis não teriam para onde fugir.

Read more: http://oglobo.globo.com/mundo/chancelaria-de-israel-chama-brasil-de-anao-diplomatico-13363282#ixzz38PpGjF8J

Dilma deve acionar AGU e clubes para mudar eleições na CBF

Dilma deve acionar AGU e clubes para mudar eleições na CBF
08h01
publicidade

Dassler Marques
Dassler Marques
Direto de São Paulo

115
comentários
Na avaliação do Bom Senso FC, a descentralização do poder se tornou uma das prioridades na agenda da presidente Dilma Rousseff para o futebol brasileiro. Em encontro realizado com líderes do movimento na última segunda-feira, em Brasília, Dilma acionou a Advocacia Geral da União (AGU) para discutir maneiras de alterar a votação na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A ideia é que todos os jogadores profissionais tenham direito a voto.

Na reunião, a possibilidade de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) foi cogitada, mas dependeria do Congresso Nacional, do Senado e, enfim, da presidente. Por conta disso, é analisada juridicamente a ampliação do número de votantes. Hoje, apenas os 27 presidentes de federações estaduais e os 20 presidentes de clubes da Série A podem participar. Marco Polo Del Nero foi recentemente eleito para suceder José Maria Marin de abril de 2015 até 2019.

SAIBA MAIS
Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC / Divulgação
Ceni cobra CBF e espera ação até de Dilma no futebol do País
Após duas reuniões com o Bom Senso, Dilma Rousseff agora se encontrará com os clubes na próxima sexta-feira para tratar do Proforte, o programa de refinanciamento da dívida das equipes brasileiras. Em troca, a partir de um aval jurídico, a presidência também deve exigir que esses clubes solicitem uma nova fórmula de eleições presidenciais na CBF.

Presidente da CBF: ‘a ideia é que o Dunga fique até 2018’Clique no link para iniciar o vídeo
Presidente da CBF: “a ideia é que o Dunga fique até 2018”
“O governo está com a faca e o queijo na mão”, disse um dos líderes do Bom Senso FC ao Terra. “Ele dá a grana para refinanciar a dívida dos 20 clubes, deixa todos saudáveis, mas faz com que eles falem em assembleia geral na CBF que querem a votação do novo presidente dessa forma”, explicou. “Isso mudaria toda a cadeira de formação de atletas no Brasil”, citou ainda.

A exemplo do que já havia ocorrido em reuniões recentes, a CBF foi convidada a participar do encontro em Brasília, mas não enviou representantes. Além de dirigentes, o Bom Senso foi representado pelo goleiro Dida, do Internacional, pelo lateral Ruy Cabeção, atualmente sem clube, e por Rodrigo Caetano, diretor executivo do Vasco. Membros do futebol de areia e do futebol feminino também participaram.

A SELEÇÃO BRASILEIRA E SEU FRACASSO REFLETE A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO BRASIL E SUA CORRUPÇÃO

Felipão

11 de julho de 2014 • 21h07 • atualizado às 11h04
Som vaza, e Felipão diz que Brasil poderia fazer 4 em 10min

Fábio de Mello CastanhoLeandro Miranda
Fábio de Mello Castanho e Leandro Miranda
Direto de Brasília (DF)

Luiz Felipe Scolari teve parte de conversa vazada em sistema interno de transmissão
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters
O técnico Luiz Felipe Scolari teve parte de sua conversa com dois oficiais da Fifa, Thiago Silva e com o assessor da CBF Rodrigo Paiva vazada no sistema de transmissão interna da Fifa antes de sua entrevista coletiva no Estádio Mané Garrincha nesta sexta-feira. De bom humor, o treinador repetiu o discurso de que o placar – não a derrota – de 7 a 1 para a Alemanha foi uma fatalidade e usou como justificativa que o Brasil poderia ter feito quatro gols em 10 minutos do segundo tempo se tivesse o mesmo aproveitamento.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

“Eles chegaram sete vezes e marcaram cinco gols. Nos dez primeiros minutos do segundo tempo nós criamos quatro chances de gol. Se nós tivessemos acertado as quatro ia estar 5 a 4 em dez minutos? Isso é coisa de louco”, afirmou o treinador, que ainda brincou: “nem em mil anos acontecerá de novo”.

À espera do horário da entrevista, o grupo conversou por cerca de 30 minutos no gramado do palco da disputa do terceiro lugar contra a Holanda, sábado. Na maior parte se discutiu amenidades e eles aparentemente não perceberam a situação. Os assuntos foram das maravilhas da região da Serra Gaúcha, onde Felipão costuma descansar, a elogios ouvidos sobre a organização da Olimpíada de Inverno de Sochi.

Seleção é recebida por cerca de 500 torcedores em Brasília
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha.. Foto: Fernando Diniz / Terra
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha. Foto: Fernando Diniz / Terra
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha. Foto: Fernando Diniz / Terra
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha. Foto: Fernando Diniz / Terra
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha. Foto: Fernando Diniz / Terra

1/5Terra
Cerca de 500 pessoas acompanharam a chegada da Seleção Brasileira ao hotel Brasília Pallace, na tarde desta sexta-feira; apesar da derrota por 7 a 1 para a Alemanha na última terça-feira, eles fizeram festa para receber os jogadores, que disputam o terceiro lugar da Copa do Mundo neste sábado, contra a Holanda, às 17h, no estádio Mané Garrincha.Saiba mais

FELIPÃO FOI APENAS UMA GENTE DOS CORRUPTOS DA CBF

12 de julho de 2014 • 20h01 • atualizado às 20h22
Felipão encerra ciclo e deixa futuro nas mãos da CBF

Fábio de Mello CastanhoLeandro Miranda
Fábio de Mello Castanho e Leandro Miranda
Direto de Brasília (DF)

14
comentários

Técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, após derrota contra a Holanda
Foto: Ueslei Marcelino / Reuters
O técnico Luiz Felipe Scolari disse que, assim como combinado desde o início da Copa do Mundo, entregará o cargo e deixará a decisão sobre seu futuro nas mãos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ele disse ter encerrado um ciclo já pré-determinado e vai esperar a entidade tomar posição sobre a sua permanência ou não.

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

“Quem tem que decidir é o presidente. Já estava decidido ao final da competição que nós entregaríamos o cargo ao final da competição, era o que íamos fazer. E ele tem a grande capacidade de fazer a analise. É um assunto que não vou discutir”, afirmou, se negando a comentar qual seria a sua decisão.

A declaração de Luiz Felipe Scolari cria expectativa na reunião que será realizada na próxima semana entre o treinador e alta cúpula da entidade. O presidente José Maria Marin e o seu sucessor Marco Polo Del Nero sinalizaram após a goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha interesse em conversar por uma renovação. Porém, uma nova derrota categórica na decisão de terceiro lugar contra a Holanda, neste sábado, por 3 a 0, pode mudar esta postura.

SAIBA MAIS
Foto: Vanderlei Almeida / AFP
Felipão cita jogo “benéfico” à Holanda e pede valorização
Galvão nega “pane de 6min” e critica “Seleção limitada”
Colapso faz Brasil ir de semi celebrada a recordes negativos
Felipão não foi xingado em coro, mas ocorreram muitas manifestações isoladas contra o treinador. Fora isso seu nome foi vaiado quando anunciado no telão do Estádio Mané Garrincha.

A cúpula da CBF viaja ainda neste sábado para o Rio de Janeiro para acompanhar a final entre Argetina e Holanda. Uma conversa com Felipão só será realizada no começo da semana, quando o técnico apresentará relatórios e passará as impressões sobre o trabalho iniciado em 2013.

publicidade

“Eu já disse que quando nós começamos tínhamos o prazo para entregar e vamos fazer isso junto ao relatório final”, finalizou.

Veja fotos de Brasil x Holanda
Goleiro Júlio César não consegue segurar o pênalti de Van Persie. A disputa entre Brasil e Holanda, que valia a terceira colocação na Copa do Mundo, terminou em 3 a 0 para a seleção europeia. A despedida da Seleção Brasileira do Mundial aconteceu no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. . Foto: Vanderlei Almeida / AFP
Georginio Wijnaldum no lance em que marca o terceiro gol contra o Brasil. Foto: Damien Meyer / AFP
Georginio Wijnaldum comemora ao marcar o terceiro gol da Holanda contra o Brasil. Foto: Evaristo Sá / AFP
Sem recurso, Fernandinho atinge Van Persie e é punido com o amarelo. Foto: Evaristo Sá / AFP
Fernandinho atinge Van Persie. Foto: ODD ANDERSON / AFP
Van Persie fica no chão após pancada com Fernandinho. Foto: Evaristo Sá / AFP
Fernandinho em dividida com Robben . Foto: ODD ANDERSON / AFP
Daley Blind comemora após marcar o segundo gol da Holanda contra o Brasil. Foto: Vanderlei Almeida / AFP
Juiz marca pênalti após falta de Thiago Silva contra Robben, aos dois minutos do jogo, que resultou no primeiro gol da Holanda. Foto: Jamie McDonald / Getty Images

1/60AFP
Goleiro Júlio César não consegue segurar o pênalti de Van Persie. A disputa entre Brasil e Holanda, que valia a terceira colocação na Copa do Mundo, terminou em 3 a 0 para a seleção europeia. A despedida da Seleção Brasileira do Mundial aconteceu no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

JUDEUS ASSASSINOS DE JESUS CRISTO MATAM CRIANÇAS NA PALESTINA

capanotíciasmundooriente médio
Oriente Médio
publicidade

10 de julho de 2014 • 11h18 • atualizado às 12h31
Israel descarta cessar-fogo e faz ataque por terra em Gaza

Tanques israelenses foram flagrados próximo à fronteira com Gaza

84
comentários

Tanques israelenses se movimentam perto da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza
Foto: Ariel Schalit / AP
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou nesta quinta-feira que o cessar-fogo com o movimento islamita Hamas não está na ordem do dia, informou o jornal Haaretz.

“Não falamos com ninguém de um cessar-fogo no momento. Não está na ordem do dia”, declarou o primeiro-ministro durante uma reunião da comissão parlamentar das Relações Exteriores e da Defesa.

Netanyahu rejeitou, no entanto, cortar o fornecimento de energia elétrica à Faixa de Gaza, que depende de Israel, como exigiam alguns integrantes de seu governo e deputados de direita e extrema-direita.

De acordo com uma fonte anônima israelense, o Exército de Israel estaria cogitando realizar uma invasão por terra
Foto: Ariel Schalit / AP
“Não podemos atuar como a Rússia na Chechênia”, disse o primeiro-ministro, segundo o jornal.

Nesta quinta-feira, soldados israelenses foram fotografados diringindo tanques próximo à fronteira entre Israel e Gaza.

De acordo com o site Russia Today, o Exército de Israel está cogitando todas as opções para parar o lançamento de foguetes a partir da Faixa de Gaza, incluindo ataque terrestre.

“O Exército está se preparando para todos os cenários, inclusive uma operação de invasão por terra”, revelou uma fonte anônima israelense.

Israel diz que acertou mais de 750 alvos em uma ofensiva que tem a intenção de coibir os ataques de foguetes contra sua população civil, uma situação agravada após forças israelenses terem prendido centenas de ativistas do Hamas na Cisjordânia ocupada, após o sequestro dos adolescentes judeus.

Israel acusa militantes do grupo islâmico Hamas de deliberadamente colocar civis palestinos em meio ao perigo ao manter armamentos e combatentes em áreas residenciais.

Na Faixa de Gaza, nuvens de fumaça e detritos marcavam o resultado dos ataques de Israel no episódio mais severo de hostilidade entre militantes palestinos e as poderosas forças armadas israelenses em um período de dois anos.

Quase 80 palestinos já morreram em três dias de ataques.

Com informações da AFP, Reuters e do site Russia Today.

Gaza: bombardeios causam mortes e destruição; veja fotos
10 de julho – soldados israelenses dirigem um tanque em direção à fronteira entre Israel e Gaza, aumentado os temores da realização de um ataque terrestre. Foto: Ariel Schalit / AP
9 de julho – tanques israelenses são conduzidos até uma área de recolhimento, perto da fronteira entre Israel e Gaza . Foto: Ariel Schalit / AP
9 de julho – palestina chora a morte de familiares vítimas de foguetes lançados por Isarel, na Faixa de Gaza. Foto: AP
9 de julho – palestinos carregam o corpo de um homem morto durante um ataque com mísseis de Israel na cidade de Beit Hanoun. Foto: Khalil Hamra / AP
9 de julho – uma bola de fogo explode no céu instantes após um míssil israelense atingir um campo de refugiados de Rafah, no sul da Faixa de Gaza . Foto: AP
9 de julho – céu é encoberto por fumaça causada por explosão de míssil israelense na Faixa de Gaza. Foto: Ariel Schalit / AP
9 de julho – uma mulher palestina foge junto dos filhos após um ataque aéreo israelense em uma casa em Gaza. Foto: Majdi Fathi / Reuters
8 de julho – mísseis disparados por Israel contra uma ofensiva do Hamas atingem regiões da cidade de Rafah, na Faixa de Gaza. Foto: Eyad Baba / AP
8 de julho – palestinos vasculham os destroços de um veículo após um ataque aéreo israelense no norte da Faixa de Gaza . Foto: Adel Hana / AP

1/18
10 de julho – soldados israelenses dirigem um tanque em direção à fronteira entre Israel e Gaza, aumentado os temores da realização de um ataque terrestre
Foto: Ariel Schalit / AP

SP: homem completa 126 anos e pode ser o mais velho do mundo

SP: homem completa 126 anos e pode ser o mais velho do mundo

Talita Zaparolli
Talita Zaparolli
Direto de Bauru

13
comentários

José Aguinelo dos Santos nasceu em um quilombo em Pedra Branca, no interior do Ceará, em 7 de julho de 1888, quase dois meses depois que a Lei Áurea extinguiu a escravidão no Brasil
Foto: Especial para Terra
Para a maioria das pessoas, passar dos 100 anos de idade parece um feito improvável. Mas em Bauru, no interior de São Paulo, um homem completa 126 anos nesta segunda-feira e pode ser o mais velho do mundo. José Aguinelo dos Santos nasceu em um quilombo em Pedra Branca, no interior do Ceará, em 7 de julho de 1888, quase dois meses depois que a Lei Áurea extinguiu a escravidão no Brasil.

Apesar da idade avançada, ele se recorda da família, dos pais e da juventude no quilombo. Com dificuldades na fala, “Zé” como é chamado pelos funcionários do asilo Vila Vicentina, onde vive desde dezembro de 1973, conta que não teve filhos e que nunca se casou. “O tempo passou”, disse.

O asilo não tem informações sobre possíveis familiares do idoso, como irmãos ou sobrinhos. A psicóloga que o acompanha, Mariana Canassa da Silva, explica que na época em que ele foi morar no asilo não era preciso citar esse tipo de informação. Mariana trabalha na Vila Vicentina há pouco mais de um ano e convive diariamente com o idoso. Ela conta que, em alguns momentos de maior lucidez, José Aguinelo relembra o passado.

Apesar de não receber visitas de familiares, segundo a psicóloga, o idoso não apresenta quadro depressivo, e apesar de ser fumante, tem uma “saúde de ferro”
Foto: Talita Zaparolli / Especial para Terra
“Não sabemos se os pais dele foram escravos, mas ele sempre conta que nasceu num quilombo. Que lá eles plantavam milho, mandioca. De lá ele veio para São Paulo para trabalhar na lavoura de café, mas ele não se recorda como essa viagem foi feita, nem quando. Só se lembra que morou em Jacuba (bairro rural de Arealva, município vizinho a Bauru)”, explica.

“A gente até tenta puxar conversa com ele, pergunto como vão as coisas, onde ele morava, mas ele não gosta muito de conversar”, conta o aposentado Arthur Bertaglia, de 84 anos, também morador do asilo.

Apesar de não receber visitas de familiares, segundo a psicóloga, o idoso não apresenta quadro depressivo, e apesar de ser fumante, tem uma “saúde de ferro”, tendo apenas problemas típicos da idade, como dificuldades na memória recente. “Ele não tem nenhuma doença característica da idade. Apenas recebe medicamentos para que não desenvolva a diabetes. A alegria que ele demonstra no dia-a-dia faz a gente acreditar que ele é feliz aqui, que aqui realmente é a casa dele”, avalia.

Na rotina diária do aposentado estão banhos de sol pela manhã e caminhadas pelas dependências do asilo, mas é no quarto que ele passa boa parte do dia, tendo como um dos passatempos o cigarro. Ele consome um maço por dia que é adquirido com o dinheiro da aposentadoria. O idoso divide o mesmo quarto com outro homem há 15 anos. A psicóloga também enfatiza que José Aguinelo faz quase tudo sozinho, apenas o banho é monitorado. “Ele também interage com os outros idosos no salão de convivência, dança e canta, do jeito dele, mas canta”, brinca.

“Na hora do almoço o Zé é o primeiro a chegar no refeitório”, disse a nutricionista da instituição Lilian Ferrari. No cardápio, alimentos como saladas e doces não são bem aceitos. “Café ele adora. De manhã toma café com leite e açúcar e pão puro. Ao todo são cinco refeições diárias”, disse. Questionado sobre o que mais gosta de comer, José Aguinelo é rápido. “Arroz e feijão”.

A nutricionista acredita que a alimentação saudável e regrada, além da prática de atividade física, do trabalho que o idoso desenvolvia na lavoura de café, podem ter contribuído para a longevidade. “Antigamente não se tinha alimentos industrializados como temos hoje. A alimentação era mais natural e saudável. Para se ter uma ideia, usava-se só banha de porco e sal para conservar os alimentos”, explicou.

O RG comprova a data de nascimento de José Aguinelo. Muitas pessoas com a idade mais avançada não tem documentos que provem a idade
Foto: Talita Zaparolli / Especial para Terra
Centenários
O último Censo demográfico, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE) em 2010, constatou que 24.236 pessoas têm 100 anos ou mais no país. São 7.247 homens e 16.989 mulheres. Naquele ano a população brasileira era de 190.755.799, segundo o instituto.

Porém, a assessoria de imprensa do IBGE afirma que o recenseamento é feito por faixas etárias, por isso não há dados individualizados, ou seja, não é possível saber se há outra pessoa no país com idade igual ou superior a de José Aguinelo.
Quarenta e oito idosos vivem na Vila Vicentina em Bauru. Além do aposentado, outras três mulheres já ultrapassaram os 100 anos.

Recorde mundial
O homem antes considerado o mais velho do mundo, segundo registro do Guinness World Records, morreu no mês passado com 111 anos. O polonês Alexander Imich era químico e parapsicólogo aposentado, e morava nos Estados Unidos. Com isso, a direção da Vila Vicentina estuda entrar em contato com os organizadores do livro para que o novo recorde possa ser registrado.

“Não por uma questão de stat

PAPA RECEBE VÍTIMAS DOS PADRES PEDÓFILOS

Papa recebe pela primeira vez vítimas de padres pedófilos
O papa Francisco recebeu pela primeira vez no Vaticano seis vítimas de padres pedófilos, anunciou nesta segunda-feira a assessoria de comunicação da Santa Sé. O pontífice recebeu dois britânicos, dois alemães e dois irlandeses que sofreram abusos sexuais de religiosos.

O encontro aconteceu na residência privada de Francisco no Vaticano, a Casa Santa Marta, onde ele mora desde sua eleição como pontífice em março de 2013.

As vítimas assistiram à missa que o bispo de Roma preside na capela de sua residência e depois aconteceu o encontro privado.Francisco se comprometeu desde o início a lutar contra a pedofilia e criou uma comissão para a proteção da infância, que tem entre seus integrantes uma vítima, a irlandesa Mary Collins.

Apesar dos gestos, as associações de vítimas consideram que a Igreja não está fazendo todo o possível para impedir que padres abusem sexualmente de menores de idade em todo o mundo.