Delcídio interrompe depoimento após saber de críticas de Lula À polícia, senador diz que por ‘questões humanitárias’ tentou ajudar Cerveró

Delcídio interrompe depoimento após saber de críticas de Lula
À polícia, senador diz que por ‘questões humanitárias’ tentou ajudar Cerveró

POR O GLOBO 27/11/2015 11:05 / atualizado 27/11/2015 16:16

O senador Delcídio Amaral fala ao celular no congresso – André Coelho / Agência O Globo
PUBLICIDADE

BRASÍLIA – O senador Delcído Amaral (PT-MS) interrompeu o depoimento à Polícia Federal (PF) na quinta-feira, após saber das críticas que recebeu do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula teria dito que foi uma “grande burrada” as tentativas de Delcídio de impedir que o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró o delatasse. Segundo a GloboNews, assim que mostraram as declarações de Lula, Delcídio se “descontrolou completamente”, e o advogado do senador teve que interferir, o que suspendeu o depoimento.

Segundo a PF, Delcídio não prestará novo depoimento nesta sexta-feira. Hoje ele recebeu visita de assessores e advogados nesta sexta.

No depoimento ontem, o senador negou que tenha procurado ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a libertação do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. E disse que apenas prometeu ajudar, para dar palavras de conforto ao filho dele, Bernardo Cerveró. Questionado se tinha interesse na soltura do ex-diretor da Petrobras, preso em Curitiba em decorrência da Operação Lava-Jato, Delcídio respondeu que sim, mas por motivos pessoais, por já ter trabalhado com ele na Petrobras e por presumir o sofrimento pessoal que vinha sofrendo. Em resumo, por “questões humanitárias”. As informações são da “Globo News”, que teve acesso ao termo do depoimento. Ele confirmou participação em reuniões gravadas.

Delcídio foi preso na quarta-feira, por tentar atrapalhar a investigação da Lava-Jato. Em reunião ocorrida em 4 de novembro, Delcídio prometeu a Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, ajuda para libertar seu pai, preso em Curitiba. Também prometeu dinheiro e auxílio para que ele fugisse para a Espanha. Bernardo gravou a conversa e depois entregou o áudio à Procuradoria Geral da República (PGR).

— Agora, agora, Edson (Ribeiro, advogado de Cerveró), Bernardo, é, eu acho que nós temos que centrar fogo no STF agora, eu conversei com o Teori (Zavascki, ministro do Supremo), conversei com o (ministro Dias) Toffoli, pedi pro Toffoli conversar com o Gilmar (Mendes, outro ministro do STF). O Michel (Temer, vice-presidente da República) conversou com o Gilmar também, porque o Michel tá muito preocupado com o (ex-diretor da Petrobras Jorge) Zelada, e eu vou conversar com o Gilmar também — afirmou Delcídio na conversa gravada.

Veja também

Edson Ribeiro, advogado do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, chega à Superintendência da Polícia Federal, no RioAdvogado que tramou fuga de Cerveró será preso nesta sexta-feira

O senador Delcídio Amaral (PT-MS)
Oposição quer abrir processo no Conselho de Ética contra Delcídio
INFOGRÁFICODelcídio: a trajetória da acusação contra ele na Lava-Jato
O senador Delcídio Amaral fala ao celular no congressoDelcídio confirmou participação em reuniões gravadas, diz advogado
Na quinta-feira, questionado sobre isso, Delcídio disse que apenas prometeu conversar com os ministros, mas não o fez. Segundo o senador, foi Bernardo quem pediu ajuda para libertar o pai. Delcídio também disse no depoimento que procurar ministros do STF seria infrutífero. A respeito da citação a Michel Temer, ele afirmou que tinha informações de que o vice-presidente seria próximo a Zelada, que também foi preso durante as investigações da Lava-Jato. Questionado que relações próximas seriam essas, Delcídio não quis se manifestar.

PUBLICIDADE

SENADOR NEGA RELAÇÃO COM PASADENA

O senador também negou relação com o negócio da compra, pela Petrobras, da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Existe a suspeita de que ele tenha recebido propina pelo negócio. Mas Delcídio sustentou que na época, em 2006, era presidente da CPI dos Correios, que investigou o escândalo do mensalão. Assim, sofria resistências tanto do governo federal como do PT.

Delcídio afirmou que conhece o advogado Edson Ribeiro, que aparece na gravação participando da negociação em que o senador tenta comprar o silêncio de Cerveró. O senador diz que foi procurado por Edson porque o advogado tinha créditos a receber da Petrobras. Era a estatal que pagava a defesa dos diretores e ex-diretores investigados na Lava-Jato.

No depoimento, Delcídio disse que conheceu Cerveró em 1999. Na época ele foi indicado para a diretoria de Gás e Energia da Petrobras, onde Cerveró tinha um cargo de gerência. Em 2002, Delcídio foi eleito senador pelo Mato Grosso do Sul. Ele relata que, no ano seguinte, a então ministra de Minas e Energia Dilma Rousseff, hoje presidente da República, o consultou sobre a indicação de Cerveró para a diretoria da Área Internacional da Petrobras. Delcídio foi favorável, mas afirmou que Dilma já conhecia Cerveró da época em que ela era secretária de Minas e Energia no Rio Grande do Sul (1999-2002).

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/delcidio-interrompe-depoimento-apos-saber-de-criticas-de-lula-18158523#ixzz3sicOXq00
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Governo vai bloquear R$ 10,7 bilhões, e serviços serão paralisados

Governo vai bloquear R$ 10,7 bilhões, e serviços serão paralisados

Presidente cancelou viagem ao exterior por conta do agravamento da crise

POR MARTHA BECK / CATARINA ALENCASTRO

Brazilian President Dilma Rousseff attends a meeting at Planalto Palace in Brasilia on November 27, 2015 to discuss the situation of the dam burst in Mariana, Minas Gerais state. Rousseff will attend the UN Climate Conference – COP21 – in Paris, France which begins on November 30th. AFP PHOTO/EVARISTO SA – EVARISTO SA / AFP

BRASÍLIA – A presidente Dilma Rousseff decidiu seguir a orientação do Tribunal de Contas da União (TCU) e vai fazer um novo contingenciamento do Orçamento de 2015. O governo deverá editar um decreto de programação financeira com um corte de R$ 10,7 bilhões nos gastos. Com isso, pela primeira vez, o país terá um quadro que os técnicos chamam de “shut down”, ou seja, a suspensão de todas as despesas discricionárias. Isso significa deixar de fazer, por exemplo, o pagamento de todos os serviços de água, luz, telefone, bolsas no Brasil e no exterior, fiscalização ambiental, do trabalho, da Receita e da Polícia Federal. A suspensão também atingirá gastos com passagens e diárias.

A presidente decidiu cancelar suas viagens ao Japão e ao Vietnã, marcadas para o período de 1 a 4 dezembro, por conta do agravamento da crise política e da situação fiscal, que depende de várias decisões do Congresso. Dilma ainda vai embarcar para Paris, onde participa da COP-21, conferência sobre mudanças climáticas, uma vez que esse evento está marcado para o dia 30 e, oficialmente, o bloqueio dos gastos só entrará em vigor no dia 01 de dezembro. Dilma embarca hoje à noite para Paris, onde participará do segmento de chefes de Estado da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, e retorna na segunda-feira à noite para Brasília.

— Ela acha que é melhor ficar no Brasil por conta das decisões orçamentárias. Estamos trabalhando para aprovar o PLN 5 (projeto de lei da meta fiscal) . Na base aliada há consciência da importância da aprovação da meta fiscal – disse um auxiliar de Dilma.

Segundo integrantes da equipe econômica, o Palácio do Planalto optou por essa saída para evitar uma fragilização ainda maior da presidente e e novos argumentos para um eventual pedido de impeachment. Ao avaliar as contas do governo de 2014, os ministros do TCU consideraram ilegal o fato de o governo ter administrado o Orçamento do ano passado com base numa meta fiscal que ainda não havia recebido o aval dos parlamentares. Por isso, o governo não gostaria de correr esse risco novamente.

O problema é que o mesmo quadro está ocorrendo em 2015. Com receitas em queda livre e despesas engessadas, o governo propôs ao Congresso uma alteração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deste ano que fixa a meta fiscal num déficit de R$ 51,8 bilhões para o governo federal. Esse valor, no entanto, pode chegar a R$ 117,9 bilhões caso o governo tenha frustração de algumas receitas e pague o saldo de todas as pedaladas fiscais (atrasos nos repasses de recursos do Tesouro Nacional para bancos públicos), que é de R$ 57 bilhões. No entanto, essa meta ainda não foi aprovada pelo Legislativo.

A votação estava marcada para o início da semana, mas acabou sendo adiada para o dia 3 de dezembro por causa das turbulências provocadas no Congresso pela prisão do líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), acusado de tentar obstruir as investigações da operação Lava-Jato. Assim, na prática, para poder seguir a recomendação do TCU, a equipe econômica precisa trabalhar com a meta que ainda está em vigor, de um superávit primário de R$ 55,3 bilhões para o governo federal.

Para seguir esse compromisso, no entanto, será preciso paralisar a máquina pública. Este ano, até outubro, governo federal já acumula um déficit primário de R$ 33 bilhões. No último relatório bimestral de receitas e despesas, o governo alertou para o fato de que seria preciso fazer um contingenciamento adicional de gastos de R$ 107,1 bilhões para garantir a meta oficial. No entanto, nesse momento, o valor que pode efetivamente ser contingenciado é de apenas R$ 10,7 bilhões.

“Cabe ressaltar que o contingenciamento dessas despesas levaria a graves consequências para a sociedade, com a interrupção da prestação de importantes serviços públicos e da execução de investimentos necessários à manutenção da infraestrutura do País e à retomada do crescimento econômico”, afirma o documento.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/governo-vai-bloquear-107-bilhoes-servicos-serao-paralisados-18161294#ixzz3sibTb2Ma
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído

Romário se contradiz sobre conta na Suíça Senador havia dito que nunca foi correntista do BSI, mas ao GLOBO reconheceu que já teve vínculo com a instituição

Romário se contradiz sobre conta na Suíça
Senador havia dito que nunca foi correntista do BSI, mas ao GLOBO reconheceu que já teve vínculo com a instituição

POR MARCO GRILLO 27/11/2015 11:24 / atualizado 27/11/2015 15:06
PUBLICIDADE

RIO — O senador Romário (PSB-RJ) caiu em contradição ao explicar a suposta existência de uma conta no banco suíço BSI. Em entrevista ao GLOBO, publicada nesta sexta-feira, ele afirmou que já foi correntista quando atuou por clubes europeus, entre o fim dos anos 1980 e meados dos anos 1990. Em uma publicação no Facebook, no dia 31 de julho, Romário disse que o banco havia admitido que ele “nunca tivera vínculo com a instituição”. O documento divulgado pelo BSI na ocasião atesta que uma conta citada pela revista “Veja”, em julho, não era sua naquele momento. O BSI não especificou, no entanto, se o senador já fora correntista em outra época. Ao GLOBO, o senador negou que atualmente seja titular de conta no BSI. Em resposta a um comentário no Facebook, o senador afirmou que deseja que o Ministério Público suíço envie “todo o histórico”.
Nesta manhã, Romário solicitou à Procuradoria-Geral da República (PGR) que peça ao Ministrio Público da Suíça a abertura de uma investigação para apurar se a suposta conta em seu nome no BSI existe ou já existiu algum dia. No ofício, o senador pede ainda que seja averiguado se já houve alguma movimentação na conta citada. A existência de uma suposta conta, ainda em atividade e com saldo equivalente a R$ 7,5 milhões, foi revelada em julho pela revista “Veja”. Após o episódio, o senador foi à Suíça e ironzou a situação, se dizendo “chateado” por não ser o dono da conta.

O assunto voltou à tona após a divulgação do aúdio da conversa envolvendo o senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso na quarta-feira, e o advogado Edson Ribeiro, detido nesta manhã ao desembarcar no Aeroporto Galeão, no Rio. Na conversa, a existência da suposta conta é citada e há a insinuação de que o encerramento dela estaria relacionado a um acordo para Romário apoiar o candidato de Eduardo Paes (PMDB) à sua sucessão na prefeitura do Rio, o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo (PMDB). Um dos sócios do Banco BTG Pactual, dono do BSI, é Guilherme Paes, irmão do prefeito. Paes, Delcídio, Romário, Pedro Paulo e o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) se reuniram no dia 4 de novmebro para tratar de um projeto de lei sobre a securitização das dívidas de estados e municípios.
O senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), o prefeito Eduardo Paes, o senador Delcídio Amaral (PT-MS), o senador Romário (PSB-RJ) e o secretário de Coordenação de Governo da prefeitura do Rio, Pedro Paulo – Divulgação / Divulgação
PUBLICIDADE

“Em atenção ao acordo de cooperação firmado com a Suíça, bem assim, em face dos últimos acontecimentos noticiados pela imprensa nacional e internacional, em que fui envolvido em conversa do Senador Delcídio Amaral com o Sr. Bernardo Cerveró e seu advogado, Dr. Edson Ribeiro, como partícipe de um suposto esquema de favorecimento, alinhavado com o Prefeito do Município do Rio de Janeiro, Sr. Eduardo Paes, para “livrar-me” de suposta ocultação de recursos havidos junto ao Banco Suíço BSI e não declarados ao FISCO, em troca de apoio político ao futuro candidato do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB ao Palácio da Guanabara, Sr. Pedro Paulo, para solicitar-lhe seja oficiado ao Ministério Público Suíço para instaure procedimento investigatório, a fim de apurar se a suposta conta bancária apontada pela revista VEJA, como sendo de minha titularidade do BSI, realmente existe e, ainda, se algum existiu, assim como se já houve qualquer movimentação na malsinada conta bancária”, diz o ofício, protocolado às 9h desta sexta-feira.

Em outro trecho do requerimento, Romário aponta um “resquício de suposta fraude” para favorecê-lo.

“Eis que, inobstante a declaração outrora apresentada pelo BSI, há resquício de suposta fraude para favorecer-me, a qual merece ser apurada como nova resposta a todos os cidadãos brasileiros, em especial os cariocas e fluminenses que a mim confiaram o seu voto”, encerra.x
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/brasil/romario-se-contradiz-sobre-conta-na-suica-18158770#ixzz3siZOxGyY
© 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

VEREADOR FOLHA LÍDER DO AMASTHA

O QUE FAZ UM LÍDER?LIDERA,ESPERA,PLANEJA,ORGANIZA E FAZ O BEM ACONTECER.NA CULTURA DA ESPANHA TEM SANCHO PANÇA E DOM QUIXOTE. AMASTHA TEM SEUS DONS QUIXOTES E SANCHOS E SABE GOVERNAR PALMAS A CONTENTO DO DESCONTENTAMENTO A TODO MOMENTO.OS NOBRES EDIS VIVEM EM MUITOS BRASIS E CONSOMEM MAIS DO QUE DEVERIAM,CRIAM SONHOS E FANTASIAS E REALIZAM OS SEUS ANSEIOS.O POVO NÃO FICA NO LADO NEM NO MEIO,FICA DE FORA.EXISTEM COTAS E DIREÇÕES,DESEJOS E EGOÍSMOS E EUFEMISMOS.PALMAS ESTÁ EFERVESCENDO SUBINDO E DESCENDO,O POVO SOFRENDO,OS VEREADORES CRESCENDO,FALANDO E DIZENDO QUE O POO ESTÁ APRENDENDO.POIS DE FOME MUITA ESTÁ MORRENDO,E AQUELES QUE CHORAM POR SUAS PERDAS E DANOS QUE SE DANEM,POIS OS SENTIMENTOS DE AJUDA MÚTUA MESMO PARA OS QUE TRABALHAM,MESMO QUE PERCAM SUAS MÃES,SÃO ESQUECIDOS,HUMILHADOS,JOGADOS DE LADO,DEFENESTRADOS E TEM A PROMESSA DE SEREM AJUDADOS.SE DEUS ME ESCOLHEU PARA SER O BODE EXPIATÓRIO DOS PLEBEUS,OU O CASTIGO DESEJADO DOS FARISEUS,O PROBLEMA EU SEI É MEU.MAS ELE DISSE QUE NÃO CAIRIA NEM UMA FOLHA SEM SUA ESCOLHA,E QUE NEM UM CABELO FICARIA BRANCO OU PRETO SEM SEU CONSENTIMENTO.ENTÃO ME PERGUNTO A TODO MOMENTO QUE PALAVRAS JOGUEI AO VENTO PARA COLHER TANTO SOFRIMENTO,E CHORAR E IMPLODIR POR DENTRO,E SORRIR FORÇADO SEM NENHUM SUSTENTO.O QUE ME SUSTENTA É A ALEGRIA DOS INOCENTES E DE VEZ EM QUANDO ME SENTIR GENTE,MESMO SENTINDO A DOR ARDENTE DA SARÇA QUE VIVE NA GENTE.EU CONFIEI NUM IRMÃO QUASE UM PARENTE E FUI PARA A CIDADE DA GENTE SOFRIDO,CHORANDO E DEMENTE,MAS COM A FÉ DE UM CRENTE.ELE PROMETEU AJUDA PARA UM MOMENTO GRAVE E PREMENTE E SIMPLESMENTE SE LIVROU DA GENTE.CONTRATOS FICTÍCIOS,ARTIFÍCIOS,MALEFÍCIOS E INDÍCIOS  DE ENGÔDOS E DOLOS,QUE SÓ FAZEM OS FALSOS ÍDOLOS,E EU APENAS COMO SER HUMANO DEMAIS CHOREI E OREI,CANTEI PARA DEUS E FALEI SOBRE AQUELA QUE ME AMAGOU E NOVE MESES ME CARREGOU,E COM TANTO AMOR,TRABALHO E DESVELO ME EDUCOU,MAS MEU CORAÇÃO CHOROU,SE FERIU,SE MAGOOU E MEU AMIGO DEIXOU A FOLHA CAIR,E VEIO A CHUVA E ARRASTOU A FOLHA SECA,E A ESPERANÇA QUE VENCEU O MEDO QUASE SE TRANSFORMA EM DEGREDO,E ACABOU O SEGREDO,REVELANDO O SEU CÓDIGO POLÍTICO,NEOLÍTICO,SUA ERA PALEOZOICA E SUA MENTE ARQUEOZOICA,E PALMAS FICANDO PRA TRÁS EM PROJETOS QUE A GENTE SATISFAZ,MAS NADA MAIS,É SÓ NÃO OLHAR PARA TRÁS,E SENTIR QUE DEUS FAZ MUITO MAIS NESSE PALCO DA VIDA QUE TEM CENAS TÃO LINDAS E CAMINHOS TÃO PERFEITOS,MAS EXISTEM VIAS DE CRUZ,CASTIGO E DOR,TORTURAS E LÁGRIMAS DO DESAMOR.EU APENAS ESPEREI MEU AMIGO FOLHA E COMO QUE NUMA BOLHA O AR SE EXAURIU E FOLHA PARTIU,DA ÁRVORE SECA QUE MENTIU E A POLÍTICA ECLODIU EM PRAÇAS DE MENTIRAS,ENGODOS,MEDOS E TREJEITOS E NÃO HOUVE OUTRO JEITO DE REJEITAR O ATUAL PREFEITO,LUIZ CELSO E OS TREZENTOS REAIS.E O AMIGO QUE DISSE QUE ME AMAVA? NA MORTE DO MEU IRMÃO ME EMPRESTOU 150 REAIS PARA IR VE-LO E FAZER MAIS VIAJAR E COMPRAR GÁS,E DEPOIS MINHA MÃE MORREU E E TUDO QUASE SE PERDEU ELE NOVAMENTE PROMETEU E NADA ACONTECEU.EU APENAS CHOREI,SOFRI,E TINHA PRESTADOS SERVIÇOS,PUBLICADOS MATÉRIAS QUE TEM VALOR,MAS DO VEREADOR FALTOU O AMOR,O PENHOR O LABOR.MAS A PALAVRA DE DEUS É COMO O MARTELO QUE ESMIUÇA A PENHA,QUE PENA MINHA MÃE MORREU.E CHORO EU,MAS DESEJO AO NOBRE VEREADOR TODO AMOR,PROTEÇÃO E LUZ EM CRISTO JESUS.

ANTONIO GUIMARÃES

 

 

 

A menos de um ano da eleição, RAUL FILHO lidera com 35,3% dos votos 13/11/2015 08h24

049a4-marcelo-eduardo

A SUCESSÃO ELITORAL EM PALMAS COMEÇOU em torno as eleições de 2016 l. Seguindo uma lista de nomes já REVELADOS NAS REDES SOCAIS, a pesquisa de intenções de voto para prefeitura de Palmas foi feita de forma Aleatória. O ex-prefeito RAUL FILHO (PR) lidera a preferência – o EX-gestor foi citado por 35,4% dos entrevistados. Em segundo lugar, com 15,8%, aparece o prefeito CARLOS AMASTHA (PSB), que comanda a cidade de forma polémica com pardais e flores,e pouca a atenção ao trânsito e vidas perdidas.

Já na terceira colocação, com 10,8%, está o ex-prefeito EDUARDO SIQUEIRA O parlamentar, que é FILHO d o Ex-Governador Siqueira ,não colocou seu nome na disputa mas está no páreo e é muito forte.
O ex-governador e deputado federal Carlos Gaguim aparece na quarta colocação, com 10,4%, e logo atrás dele, empatados, estão os deputados estaduais Wanderlei Barbosa (SD) e Luana Ribeiro cada um teve a preferência de 9% dos eleitores. O Sargento Aragão, que já disputou o cargo nas eleições passadas para senador ficou na lanterna entre os nomes apresentados aos pesquisados, com apenas 7,2% das intenções de votos. E 16,6% dos eleitores consultados não souberam ou não quiseram opinar.

A pesquisa tem margem de erro de 4%, para mais ou menos.

NA DISPUTA PARA VEREADORES OS NOMES MAIS CITADOS SÃO LÚCIO CAMPELO COM 6.5% DAS INTENÇÕES DE VOTOS E VEREADOR FOLHA COM 5.3%.AO QUE PARECE A CÂMARA DE VEREADORE SE RENOVARÁ.
A ENQUENTE DO BLOG PALMAS AQUI FOI FEITA ENTRE OS DIAS 30 DE OUTUBRO E 10 DE NOVEMBRO EM 10 MACRO REGIÕES DE PALMAS E PERIFERIA.